Business Partners

BP Insights

Gamificação no RH: como trabalhar com essa tendência?

Conheça as possibilidades e os benefícios dessa inovação

O termo Gamificação (adaptado do inglês gamification) teve sua origem na indústria de mídias digitais em 2008, ganhando notoriedade ao ser relacionado à educação, sendo tomado como estratégia para uma aprendizagem mais eficiente e motivadora. Entretanto, o método tornou-se popular pelo seu caráter adaptável a diferentes ambientes e públicos, passando a ser aplicado - também - em ambientes corporativos.

Veja também: Ação recruta pessoas gratuitamente durante a pandemia

Em teoria, trata-se de um conceito simples: a utilização de elementos comuns de jogos a fim de estimular, engajar e desenvolver habilidades dos envolvidos. Na Gamificação, podem ser colocadas metas, regras, missões, classificações e, principalmente, recompensas e premiações (que podem variar em níveis ou integrarem apenas o “final” do jogo, isto é, dando retorno aos participantes somente após o cumprimento da meta principal), tornando o processo de treinamento e/ou cumprimento de tarefas mais descontraído e eficaz. Dessa forma, o que temos é o aproveitamento do sentimento competitivo como motivação e força motora do aprimoramento de competências, beneficiando tanto o lado organizacional quanto os participantes.

Apesar do termo recente, o uso de metas e recompensas não é novo: a existência de cartões de fidelidade em lojas e restaurantes ou os programas de pontos amplamente empregados nas agências de viagens, por exemplo, data de muito antes do surgimento dos estudos sobre a gamificação e seus benefícios. Nos dias atuais, com o avanço da tecnologia dando maior abertura ao desenvolvimento de táticas que englobam esse modelo, é possível citar uma variedade de empresas que se empenham em envolver seus clientes ou colaboradores em sistemas gamificados. Podemos citar alguns exemplos de empresas que já aderiram ao modelo gamificado:

STARBUCKS

Uma repaginada no sistema de fidelidade comumente empregado em redes como a própria Starbucks, o My Starbucks Rewards dá aos clientes a possibilidade de acumular estrelas a cada compra, sendo que este acúmulo resulta na troca de estrelas por bebidas e alimentos gratuitos. O jogo é composto por três níveis, atingidos pelos usuários de acordo com seu grau de fidelidade.

MICROSOFT

Possuindo uma série de requisitos para possibilitar o reconhecimento de idiomas em seus sistema, a Microsoft criou um sistema de correção de frases e expressões gamificado, com o nome “Qualidade de Linguagem”, onde eram apresentadas aos usuários e funcionários diferentes tipos de sentenças e traduções em suas línguas nativas, sendo algumas destas propositalmente erradas.

DUOLINGO

A plataforma de ensino de idiomas DuoLingo é um aplicativo totalmente gamificado, que tem por objetivo tornar o aprendizado mais descontraído e interessante - e sem perder a eficiência! À medida que progridem, os usuários vão acumulando pontos e, com isso, subindo posições em uma árvore de habilidades. Esses pontos, por sua vez, são obtidos com a finalização de lições atribuídas a tarefas que devem ser inteiramente cumpridas.

Veja também: 100% Digital, Talent Masters 2021 define estagiários
PORQUE USAR A GAMIFICAÇÃO NO RH E COMO APLICÁ-LA

A rápida popularização desse método não se deu por acaso - a facilidade de adaptação e os resultados rápidos fazem com que ele tenha cada vez mais adesão ao redor do mundo. O estímulo da competitividade, sendo trabalhado aqui de forma saudável, acaba por fazer com que a produtividade aumente, gerando respostas mais dinâmicas e rápidas, intensificando a experiência de quem quer que esteja participando, sejam alunos, clientes ou funcionários.

Dessa forma, o setor de Recursos Humanos pode se valer da diversificação e inovação do mercado para otimizar a administração de pessoas e processos, proporcionando o reconhecimento do trabalho e um desenvolvimento acelerado com aprendizado contínuo e imersivo..

Em Recrutamento e Seleção, por exemplo, o uso da gamificação pode se encaixar no dia-a-dia dos recrutadores como gratificações, em formato de premiações simbólicas à entrada de novas vagas e à conclusão das etapas dos processos seletivos. Assim, a cada meta cumprida, uma mensagem positiva pode ser enviada a fim de recompensar e reconhecer a conquista.

Um outro exemplo é o Gamestorming, uma forma de discussão de ideias e resolução de problemas gamificada, onde os participantes estabelecem um tempo de apresentação individual para cada tópico colocado em pauta, a fim de desenvolvê-lo com o grupo e chegar a um consenso. Pode ser usado em áreas relacionadas à produção de materiais, como Comunicação e Mídias, Marketing e afins.

Defina objetivos

Definir objetivos claros aos integrantes da equipe é fundamental para a aplicação do método: qual é o público-alvo? O quê precisa ser aperfeiçoado? Quais são as metas a serem atingidas e em quanto tempo? Assim, torna-se mais fácil manter o foco.

Crie regras e limites

Desde o início, torna-se essencial o estabelecimento de regras e limites que definam o funcionamento da dinâmica escolhida. Esse quesito é indispensável para manter uma prática pacífica, funcional e agradável.

Analise o desempenho e dê feedbacks

É natural que os resultados tenham de ser devidamente anotados para análises, tanto individuais quanto coletivas; Entretanto, é importante compartilhá-los com os funcionários, ainda que de forma mais sucinta, ressaltando os pontos fortes e fracos, possibilitando uma melhora a fim de alcançar as recompensas do projeto.

Estabeleça recompensas

Entretanto, com bases, dados e metas estabelecidas, se faz necessário algo além dos objetivos: a recompensa, parte indispensável do mundo dos jogos e uma das motivações principais para quem cumprirá os desafios propostos.

MAS QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS?

Treinamento e aperfeiçoamento contínuos

O clima mais descontraído em comparação aos métodos tradicionais torna a aprendizagem, tratando-se de uma seleção ou treinamento, mais eficaz e a fácil adaptabilidade faz com que sempre sejam possíveis pequenas ou grandes alterações no conteúdo a ser adquirido. Mais atentos e imersos à dinâmica gamificada, os colaboradores acabam por reter mais informações e compreender melhor o funcionamento daquilo que é passado.

Aumento do engajamento

Comumente feitos para fins de recreação, os jogos costumam trazer consigo uma atmosfera divertida, e a gamificação leva este atributo em consideração aproveitando-se para encorajar e entusiasmar os participantes a realizarem as tarefas, incentivando os funcionários de forma constante e mantendo-os interessados no progresso.

Produtividade

Mais engajados e com maior foco, é natural que os colaboradores produzam mais resultados. Uma vez estimulados à competitividade positiva, os participantes optam por empenhar-se ainda mais para atingirem o ranking, acumularem pontos, escalarem níveis ou apenas receberem as recompensas pré-estabelecidas.

Vimos aqui como a gamificação pode contribuir para a criação de melhores processos, melhores relações entre a empresa e seus colaboradores e fazer parte do desenvolvimento de profissionais de formas diversificadas. Investir nesse modelo pode ser promissor nessa nova etapa - principalmente com a tecnologia ao nosso encalço. Topa esse desafio?

Veja também: Recrutamento e Seleção: 100% Digital ou Consultoria?

Utilizamos cookies para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais sobre o uso de cookies,
consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa política.